Teresina: greve de ônibus continua após reunião sem acordo e multa é de R$ 100 mil

O Ministério Público do Trabalho (MPT) do Piauí realizou na manhã desta quinta-feira, 11 de junho de 2020, uma reunião de negociação entre o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro) e o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

O objetivo era mediar o encontro para que ambos sindicatos conseguissem dialogar e chegar a um denominador comum, que fosse do agrado das duas partes e colocasse assim um fim a greve no transporte público.

Entretanto, mesmo depois de duas horas, a reunião terminou sem solução, com a greve continuando e paralisando 100% da frota.

“A situação está bem difícil porque as partes não estão conseguindo estabelecer diretrizes comuns que propiciem uma solução consensual”, afirmou a procuradora-chefe do MPT, Maria Elena Rêgo, em nota divulgada para a imprensa.

O MPT interveio dada a situação atual onde uma greve com o total dos trabalhadores não é permitida, necessitando uma ação por parte do poder judiciário.

Por conta disso, o MPT instaurou um procedimento para que a Justiça decida sobre a situação da greve.

O SINTETRO que representa os motoristas e cobradores, reivindica o pagamento de salários atrasados e dos benefícios como ticket alimentação.

A greve de motoristas de ônibus na capital já completou um mês, sem resultados na negociação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *