Seis razões para o comércio ser amigo do ciclista e apoiar vias cicláveis

bicicletas-sao-boas-para-transportar-comprasO texto a seguir foi baseado no ‘Why Businesses Want Bike Riding Customers’, de Hilary Angus, publicado na Momentum Mag.
Acesse-o aqui: http://momentummag.com/why-businesses-want-bike-riding-customers/

 

1. Ciclistas fazem mais paradas não programadas

Enquanto estamos dirigindo é pouco provável, ao vermos um comércio novo, um ponto que não conhecíamos, que paremos o carro só para conhecê-lo. As dificuldades são várias: desde o tempo necessário para achar uma vaga para estacionar o carro, até pagar pelo estacionamento para simplesmente conhecer um novo local. Quase nunca paramos em locais não programados durante o trajeto de um ponto A a um ponto B enquanto estamos na direção de um automóvel.

 

Assim, comércios que dependem de expor seus produtos e promoções em vitrines, como lojas de roupas, calçados, restaurantes e cafés, perdem potenciais consumidores caso eles não estejam localizados em ruas agradáveis para pedestres e ciclistas. Afinal, é muito mais fácil entrar em qualquer loja enquanto estamos caminhando ou pedalando – quando basta amarrar a bicicleta em qualquer lugar, do que quando estamos dirigindo.

 

Até mesmo comparando com pedestres, o ciclista é um melhor consumidor em potencial. Isso porque, além de percorrer caminhos mais longos e portanto mais variados no que se refere aos pontos de consumo, a bicicleta possibilita carregar mais coisas.

 

2. Turistas estão pedalando e gastando mais em locais que são confortáveis para pedalar

Já se foram os dias em que alugar um carro para conhecer uma cidade desconhecida era a primeira coisa a ser feita por um turista recém-chegado às grandes cidades. As bicicletas de aluguel estão cada vez mais comuns. E além dos sistemas públicos de aluguel, muitos hotéis, hostels e lojas possuem bicicletas disponíveis para alugar.

 

Os locais agradáveis para pedalar acabam sendo os destinos destes turistas que não conhecem a cidade e, muitas vezes, nem têm tanta experiência de pedalar nas ruas.

 

3. Ciclistas pedalam mais longe para conhecer locais desconhecidos

Pedalar, por si só, é divertido e agradável. Pedalar distâncias maiores apenas para conhecer um novo ponto de comércio pode valer a pena apenas pelo caminho. É improvável que alguém vá caminhar longas distâncias ou pegar o transporte público só para conhecer uma nova loja que, afinal, pode não ser lá essas coisas. Mas, pedalando, o caminho já vale o esforço e tempo. É um estímulo a mais.

 

4. Infraestrutura para bicicleta atrai mais pessoas do que as construídas para o automóvel

Uma vaga de estacionamento para o carro acomoda apenas um automóvel de cada vez, muitas vezes com somente uma pessoa: o motorista. No mesmo espaço, é possível a seis pessoas estacionarem suas bicicletas com tranquilidade. Se o motorista tem mais facilidade para transportar suas compras, a maior quantidade de clientes de bicicleta pode proporcionar ao estabelecimento mais compras.

 

Um estudo da Universidade de Melbourne constatou que um motorista gasta mais em uma hora do que um ciclista ($27 contra $16,70, respectivamente). As seis bicicletas, que cabem na mesma vaga do automóvel, tem um potencial de compra de $97,20 no mesmo período.

 

Outro estudo recente mostra que vias cicláveis e bicicletários agem como catalisadores para a economia local ao aumentar a capacidade das ruas. Se as ruas são seguras apenas para os motoristas, então os potenciais consumidores são aqueles que conseguem estacionar seus carros. Ruas confortáveis para pedalar e locais para estacionar as bicicletas proporcionam que mais pessoas utilizem o mesmo espaço, expandindo o número de potenciais clientes.

 

5. Ciclistas fazem compras com mais frequência

Todos nós fazemos isso. Vamos comprar uma coisa simples na loja mas, enquanto estamos procurando o produto desejado ou aguardando na fila para pagar, acabamos comprando outras coisas que não programamos. Isto é uma regra do mercado e as lojas são pensadas de maneira a nos levar a comprar mais do que precisamos.

 

Um estudo na Alemanha analisou padrões de consumo em três grandes supermercados e lojas de departamentos. Eles determinaram que ciclistas frequentam mais os estabelecimentos do que os motoristas (11 vezes por mês contra 7, respectivamente). Assim, as pessoas de bicicletas ficam mais expostas às compras não programadas do que aquelas que vão de carro.

 

Junte-se a isso o fato mencionado no item 1, que ciclistas param mais que os motoristas e carregam mais coisas do que pedestres.

 

6. Ciclistas gastam mais dinheiro; simples assim

Diversos estudos realizados em várias cidades (norte-americanas, suíças e neozelandesas) chegaram às mesmas conclusões: ciclistas gastam mais dinheiro. Em muitos casos, ciclistas gastam a mesma quantidade por viagem do que os motoristas, mas, em todos eles, ciclistas gastam mais, no geral, porque realizam mais viagens.

 

Entre pessoas que moram nos mesmos locais e possuem rendas parecidas, os ciclistas não têm gastos com a compra de automóveis, seguro e estacionamentos. Assim, é mais dinheiro disponível para gastar no comércio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *