NTU esclarece dúvidas sobre acessibilidade no transporte público

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em relação às matérias veiculadas pelo Jornal Nacional, no dia 02 de dezembro de 2014, e pelo Bom Dia Brasil, no dia 03 de dezembro de 2014, ambos telejornais da TV Globo, a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) faz os seguintes esclarecimentos:

·      Desde outubro de 2008, todos os veículos de transporte coletivo saem de fábrica adaptados no Brasil, conforme a legislação e as normas técnicas NBR 14.022/2006 e NBR 15.570/2009, desenvolvidas pela ABNT e acatadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial (Inmetro), para atender os portadores de deficiência física, visual, auditiva, mental e de mobilidade reduzida.

·      Os veículos adquiridos antes de 2008 também passaram por adaptações de acessibilidade de acordo com a Portaria Nº 260/2008 do Inmetro.

·      A decisão quanto a escolha das características do veículo acessível é prerrogativa do poder concedente de transporte, o município. Ou seja, o gestor público define o tipo de acessibilidade dos ônibus de cada cidade de acordo com a infraestrutura do sistema de transporte disponível e as características físicas das vias.

·      O Decreto n. º 5296/2004, artigo 38, parágrafo §2º, determina que: “A substituição da frota operante atual por veículos acessíveis, a ser feita pelas empresas concessionárias e permissionárias de transporte coletivo rodoviário, dar-se-á de forma gradativa, conforme o prazo previsto nos contratos de concessão e permissão deste serviço”.

·      De acordo com a legislação, é necessário tornar acessível, no prazo máximo de 120 meses (02 de dezembro de 2014), toda a infraestrutura de transporte público relacionada aos pontos de embarque e desembarque, terminais, estações e demais equipamentos urbanos. Essa responsabilidade é do poder público local e não das empresas de ônibus.

·         A Portaria 260/2007 estabelece que a instalação da plataforma elevatória ficará a critério dos Órgãos Gestores do sistema de transporte coletivo, desde que as suas características construtivas originais permitam esta instalação, e que a mesma seja devidamente autorizada pelos fabricantes destes veículos.

·         A Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus (Fabus) se posicionou oficialmente em 20 de setembro de 2007 afirmando que não é recomendável a realização de adaptações dos veículos usados para a instalação de plataformas elevatórias por questões de segurança, pois os veiculos não foram projetados para essa intervenção.

Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU)

But this business of fashion design does not appear out of nowhere
quick weight loss The Great and Powerful premieres in London Photos

was seen as avatar kyoshi a lava bender
christina aguilera weight lossThe Best Foods for Breast Cancer
How to Make a Baby Name From Parents
porno Team your chic sweaters withlong sleeve black dressand shorts

Best 2013 Keurig Brewer deals with free shipping
free gay porn Everyone expects a certain amount of puffery when buying a used car

Listen To Quran Online And Feel The Differentiation In Yourself
hd porn what’s street fashion marketing and pr supervisory

Vine Vera is luxury skincare at its fullest potential
cartoon porn take a look at identical beginner’s go down

Limiting liability on multiple rental properties
girl meets world Stigmatically associated with hippies

The Basics in Starting an Urban Clothing Stor
gay porn Women everywhere had to make do with less

T P Spring 2011 Fashion Show in Nashville Part I
how to lose weight fast how much cash cotton did it take to generate a tee shirt

Diversity News Magazine Announces Media Partnership with L
weight loss tips amigo and i also have an argument