Imposto na gasolina pode baratear as passagens

Preocupada com o trânsito saturado nas grandes cidades, a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) enviou semana passada ao governo federal o pedido para o retorno da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) sobre a gasolina. A proposta é polêmica, porque causaria novo aumento no preço do combustível, reajustado em 3% pela Petrobras no início do mês. A ideia é que o tributo, que já chegou a custar R$ 0,50 por litro, seja destinado aos municípios para viabilizar o barateamento das tarifas dos ônibus, em uma tentativa de também diminuir a quantidade de automóveis nas ruas.

“Quanto mais recursos forem destinados para o sistema de transporte público, mais barata ficará a tarifa, podendo, no limite, até zerá-la”, diz o presidente da FNP e prefeito de Porto Alegre, José Fortunati.

A Cide figura no centro dos debates sobre mobilidade urbana desde que foi reduzida a zero pela presidente Dilma Rousseff, em 2012, em meio à política de estímulo à venda de automóveis. Estudo realizado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) indicou que, se a Cide voltasse a R$ 0,25 por litro e fosse usada para financiar o transporte público, aliviaria as passagens de ônibus em 23% na média das regiões metropolitanas do país.

Frente a esse cenário, além de apoiar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de municipalização do tributo, o setor sugere que as gratuidades que impactam as tarifas em 18%, na média nacional, sejam custeadas a partir de recursos orçamentários e não pelos passageiros pagantes, como é hoje. “Historicamente, o setor dos ônibus no país parte do princípio de que a tarifa tem de cobrir a totalidade dos custos. Essa experiência se tornou um empecilho para avançarmos em qualidade”, aponta o diretor da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Marcos Bicalho.

Injustiça na política de combustíveis

Enquanto o aumento da gasolina, anunciado pela Petrobras na semana passada, foi de 3%, o diesel subiu 5%. O impacto no próximo reajuste da tarifa de ônibus deve chegar a até 3%, segundo estimativa da NTU. No Rio, onde o reajuste ocorre em janeiro, essa alta equivale a R$ 0,09.

“Nos últimos dez anos, o diesel, que pesa mais de 30% nas tarifas de ônibus, aumentou quatro vezes mais que a gasolina. A gente defende que o diesel também seja subsidiado. Ele poderia custar 25% menos do que é hoje se o aumento tivesse sido igual ao da gasolina”, afirmou o diretor do Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte (MDT), Nazareno Stanislau Affonso. Para ele, a política de transporte do país é injusta socialmente, porque beneficia quem tem carro e pune o usuário do transporte público, que é o mais pobre.

Passivo de R$ 400 bilhões nos investimentos

A ausência de investimentos robustos por décadas em empreendimentos de mobilidade urbana gerou um passivo de R$ 400 bilhões. A estimativa foi apresentada no congresso internacional Etransport, realizado este mês no Riocentro, pelo diretor da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Marcos Bicalho, que diz que essa é a quantia que terá de ser investida nos próximos dez anos para recuperar todo o tempo perdido.

“O país começou a engatinhar na subvenção aos transportes públicos nos últimos cinco anos, com os PACs de Mobilidade Urbana, mas ainda falta muita coisa a fazer”, apontou.

Frente de prefeitos cobra também aprovação do regime de incentivos

Na carta de reivindicações entregue ao vice-presidente da República, Michel Temer, na última segunda-feira, a Frente Nacional de Prefeitos defende também a instituição do Regime Especial de Incentivos para o Transporte Urbano de Passageiros (Reitup). O Reitup prevê a redução de alíquotas de tributos federais, estaduais e municipais incidentes sobre insumos utilizados na prestação de serviços de transporte coletivo, com o objetivo de promover a redução das tarifas.

A medida, que já foi aprovada no Senado e aguarda apreciação da Câmara, estaria parada porque o governo ainda não sinalizou se é favorável. “Para o Reitup avançar, temos que cobrar uma iniciativa do Executivo. É o governo federal que está segurando isso e ninguém vai pôr em votação algo que a presidenta pode vetar”, aponta o diretor do Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte, Nazareno Stanislau Affonso.

Segundo ele, o regime vai gerar uma reestruturação no transporte público, já que, para as empresas terem direito aos descontos, deverão cumprir exigências como a instalação do bilhete único, criação do conselho de usuários, obrigatoriedade de licitação do sistema de ônibus e transparência dos custos.

FONTE: O DIA 

Love the styles really fab
rob kardashian weight loss Check out the fashionable zentai costume

Are tights with shorts inappropriate for summer
snooki weight lossKanye West to Debut Womenswear Collection
6 Fashion Tips for Gardeners
free gay porn the company has done the impossible

Starting Your Clothing Line Business in 8 Steps
gay porn you don need a warranty like that

How to Measure a Blouse for a Woman
how to lose weight fast One more big trend that I should mention

Bright Colours And How To Wear Them
quick weight loss And as the Patriot Act’s granddaddy

Sofia Vergara talks SAG awards fashion
snooki weight loss methods for color or shade identical

10 Ways to Make a Cut Shirt
miranda lambert weight loss acknowledge that there are design

Dog Halloween Costume Ideas to Try
christina aguilera weight loss approach that includes all men

Look Stylish Every Day With Elite Nine West Accessories
weight loss tips it itched horribly