Engenheiros fazem vistoria na cratera aberta em avenida de Rio Preto

O canal subterrâneo da avenida Bady Bassitt, em São José do Rio Preto (SP), que seria vistoriado nesta quinta-feira (26) por completo, acabou sendo por parte adiado para esta sexta-feira (27). Parte do canal ficou destruído depois das fortes chuvas na terça-feira (24).

Os engenheiros da prefeitura e da empresa responsável pela obra entraram no canal, e encontraram muita lama e novos riscos de deslizamentos. Eles voltam para o subsolo nesta sexta-feira (27) para avaliar o que tem que ser feito na avenida. Vigas de aço foram colocadas no barranco para segurar a terra e evitar novos afundamentos do asfalto e do canteiro central. A reforma completa da Bady Bassitt não tem data pra acabar.

Interdição
Parte da avenida Bady Bassitt está interditada por tempo indeterminado por causa de uma cratera aberta no trecho das obras antienchentes devido à forte chuva na tarde de terça-feira. Quatro ruas que dão acesso à avenida ficarão impedidas perto do local onde eram feitas as obras. O local está cercado por tapumes, por causa dos riscos para os motoristas e pedestres.

Os quatro quarteirões da avenida que vão da rua Pedro Amaral até a rua Siqueira Campos estão interditados. O acesso pelas ruas Tiradentes e Prudente de Moraes também foram bloqueados.

Os motoristas que vierem do pontilhão Jordão Reis precisam seguir pelo bairro Boa Vista ou pelo centro da cidade. Quem vier pelo sentido oposto deve fazer o mesmo percurso para evitar o trecho interditado. O secretário de Obras de Rio Preto, Luiz Carlos Calças, afirma que a situação é grave. “As obras estão adiantadas, mas ainda não estão interligadas. Então, não tem nada a ver esses problemas causados pela chuva com as obras. A situação é grave, mas há um esforço mútuo da prefeitura com a construtora para resolver o problema”, diz.

O temporal de terça-feira prejudicou várias avenidas da cidade, mas a Bady Bassitt foi a mais prejudicada. O viaduto Jordão Reis, que dá acesso à avenida, chegou a ser interditado. A água invadiu a maioria das lojas na avenida. que tem um dos maiores fluxos de veículos

Outras avenidas como a Alberto Andaló, Brasilusa, de Maio e Murchid Homsi tambémforam afetadas. Na Andaló, a galeria feita para escoar a água da chuva não aguentou e transbordou. Um homem ficou ilhado embaixo do pontilhão da rodovia Washington Luís, que passa pela Andaló. Os bombeiros o orientaram para não se arriscar na enxurrada. A Andaló encheu desde o cruzamento com a rodovia Washington Luís até o Terminal Rodoviário, que também ficou alagado e atrapalhou a vida dos usuários do transporte público. Na marginal da rodovia Assis Chateaubriand, o alambrado de um terreno não resistiu à enxurrada e caiu.

Fora da área central também houve transtornos. O córrego dos Macacos, no bairro Cidade Jardim, não suportou tanta água e transbordou. Em alguns trechos da rodovia Washington Luís, na área urbana, os motoristas passaram com dificuldade por causa dos alagamentos.

Obra na Bady Bassitt, em Rio Preto, foi atingida e canteiro central afundou. Rio Preto (Foto: Reprodução/TV TEM)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *