COMTRANSLEGAL | Coordenador da Comissão de Transportes e Energias Renováveis de SP vai a Florianópolis debater redução do uso de combustíveis fósseis nos ônibus

Coordenador da Comissão de Transportes e Energias Renováveis de SP vai a Florianópolis debater redução do uso de combustíveis fósseis nos ônibus

Olimpio Alvares conversou com técnicos da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf), representantes de empresas de ônibus da região e do Observatório da Mobilidade da UFSC nesta quinta-feira (14)

ALEXANDRE PELEGI

Olimpio Alvares, engenheiro e especialista em transporte sustentável, emissões veiculares e poluição do ar esteve nesta quinta-feira (14) em Florianópolis, onde debateu com técnicos da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf), representantes de empresas de ônibus da região e do Observatório da Mobilidade da UFSC.

Olimpio participou do debate na condição de coordenador da Comissão de Transportes e Energias Renováveis de São Paulo (CT-CCMSP), e falou sobre a redução progressiva do uso de combustíveis fósseis nos veículos de transporte coletivo.

Falando sobre a recente experiência vivida pela (CT-CCMSP) na capital paulista, e da atuação do grupo na elaboração de diretrizes para a revisão do artigo 50 da Lei Municipal 14.933/2009, que instituiu a Lei de Mudanças do Clima na cidade,

Em Florianópolis Olimpio explicou o acalorado e intenso debate que se estabeleceu em São Paulo em torno da alteração da Lei, particularmente o artigo 50, que estabeleceu que, até 2018, a adoção de combustível renovável não-fóssil por todos os 15 mil ônibus do sistema de transporte público do município

Entre as sugestões propostas pela CT-CCMSP estão medidas que transpõem a redução das emissões de CO2 fóssil, como a que estabelece metas de redução de poluentes locais tóxicos críticos para a saúde pública – material particulado inalável fino cancerígeno (MP) e os óxidos de nitrogênio (NOx) do diesel.

Outra recomendação feita pela Comissão coordenada por Olimpio está na forma gradual como deverá acontecer o processo de substituição dos veículos convencionais por veículos e tecnologias mais limpas, feita a partir de metas definidas. Enquanto isso, sugeriu-se a adoção da tecnologia de filtros de material particulado (retrofit) em veículos a diesel existentes.

A CT-CCMSP indicou também estender as exigências do artigo 50 da Lei Municipal das Mudanças Climática para as frotas de caminhões de coleta de lixo, cerca de 2 mil veículos em São Paulo.

Chamou a atenção de todos que participaram das discussoes, o fato de que os tecnicos e estudiosos em transportes locais e a sociedade da Grande Florianópolis como um todo ainda estão muito distantes dessas questões que dizem respeito a um transporte publico e a um sistema de mobilidade limpo.
Avaliam que essas questões que já fazem parte do universo mental dos paulistanos carecem de receber maior ênfase nas estratégias de comunicação para inserção das comunidades brasileiras nas questões do transporte limpo e sustentável.
Em suma, a lei da política de mobilidade urbana ainda não pegou por ali e em muitas outras grandes cidades brasileiras e o transporte individual segue sendo o polo exclusivo das políticas públicas.

Ao final do encontro o diretor técnico da Suderf, Celio Sztoltz, concluiu afirmando que o assunto do uso de veículos com energia renovável para o transporte coletivo “será levado para discussão com os municípios da Grande Florianópolis”.

Ao mesmo tempo, agora à noite, a Câmara Municipal de SP finalmente aprovou, em segunda votação, o substitutivo do PL 300, que altera a Lei de Mudanças Climáticas, e estipula um cronograma de redução de poluentes pelos ônibus da capital paulista. Debate para o qual a Comissão de Transportes e Energias Renováveis de SP contribuiu decisivamente.

Veja:

https://diariodotransporte.com.br/2017/12/14/em-segunda-votacao-e-apos-polemica-surpresa-camara-finalmente-aprova-reducao-de-poluicao-pelos-onibus-de-sao-paulo/

ÔNIBUS ELÉTRICO A ENERGIA SOLAR:

Florianópolis já tem uma experiência inovadora no segmento de energias limpas. Trata-se de um ônibus elétrico que circula entre a UFSC e o Sapiens Parque, alimentado por energia solar, que já noticiamos algumas vezes.

No dia 21 de dezembro de 2016 o Diário de Transportes noticiava: “Ônibus elétrico com energia solar já está em operação em Santa Catarina”:

https://diariodotransporte.com.br/2016/12/21/onibus-eletrico-com-energia-solar-ja-esta-em-operacao-em-santa-catarina/

Começava a circular no dia 20 de dezembro 2016, ainda em caráter experimental, o primeiro ônibus 100% elétrico com tecnologia brasileira, com baterias alimentadas por energia solar fotovoltaica gerada nas coberturas do Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

O veículo começou a operar experimentalmente em Santa Catarina no trajeto de 25,3 quilômetros entre dois campuses da UFSC, no Sapiens Parque, em Canasvieiras, no norte da ilha, e o Campus Central. O trajeto era composto por quatro viagens, que somavam cerca de 200 quilômetros por dia, com a recarga das baterias feita no laboratório da UFSC, no Sapiens Parque.

O projeto foi desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa Estratégica em Energia Solar da UFSC em parceria com a fabricante de São Bernardo do Campo, Eletra, responsável também pelo projeto de integração dos equipamentos. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação -MCTI financiou a iniciativa, que custou cerca de R$ 1 milhão. O ônibus tem carroceria Marcopolo Torino Low Entry, os motores elétricos são da WEG e o chassi é um Mercedes-Benz O-500U Elétrico.

Em abril deste ano o ônibus superou a marca de 10 mil quilômetros. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/06/03/onibus-abastecido-por-energia-solar-roda-mais-de-10-mil-km-em-florianopolis/

No dia 6 de novembro de 2017, com a contagem iniciada agora a partir de março de 2017, o veículo completou 40 mil quilômetros rodados, o equivalente a uma volta completa ao redor da Terra. E sem emitir poluentes.

O projeto evoluiu, assim como aumentou a rodagem do ônibus. O veículo faz parte de um projeto denominado “deslocamento produtivo com veículos elétricos alimentados por energia solar fotovoltaica”. E mais que um veículo de transporte, é um ambiente de trabalho, composto de poltronas confortáveis, só transportando passageiros sentados, com duas mesas de reunião em seu interior, com tomadas 220V e USB, além de wi-fi e ar-condicionado.

O veículo elétrico realiza agora cinco viagens por dia (52 quilômetros por viagem do Sapiens Parque à UFSC e retorno, cerca de 5.000 km/mês), prestando serviços gratuitos para a comunidade da UFSC, totalmente alimentado pela eletricidade solar gerada nas coberturas do Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da UFSC, no Sapiens Parque, no Norte da ilha de Florianópolis.

Assista ao vídeo do projeto:

https://youtu.be/sncPR1FcOMs

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *