Apenas 14% dos ônibus municipais brasileiros têm dispositivo de GPS que envia informações de localização e velocidade

A tecnologia já permite que os coletivos sejam monitorados e que a frota seja controlada à distância. Entretanto, apenas 14% dos ônibus municipais brasileiros contam com um dispositivo de GPS que envia informações de localização e velocidade.

Os números são da terceira edição da pesquisa TIC Governo Eletrônico, Comitê Gestor da Internet no Brasil, com dados de 2017. O estudo foi realizado por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação do Núcleo de Informação (Cetic.br) e Coordenação do Ponto BR.

A pesquisa também tratou de outras tecnologias na gestão urbana. Apenas 4% dos municípios do país contam com semáforos inteligentes controlados remotamente e 7% têm um sistema de iluminação inteligente que permite a medição de consumo de energia ou alteração à distância da iluminação de áreas do município.

Segundo dados da pesquisa, as tecnologias na gestão urbana foram mais mencionadas entre as capitais. O uso de bilhete eletrônico para transporte público é a mais comum (81%), seguida por semáforos inteligentes (69%), ônibus com GPS (58%) e sensores de monitoramento de áreas de risco (50%).

Os dados gerais do estudo mostram que, em 2017, 18% das prefeituras afirmaram ter algum plano ou projeto de cidades inteligentes. A proporção chega a 77% nas capitais e a 70% nos municípios com mais de 500 mil habitantes.

Na visão do gerente do Cetic.br, Alexandre Barbosa, o conceito de smart cities está cada vez mais presente nas políticas urbanas e em agendas de organismos internacionais como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a União Internacional das Telecomunicações (UIT). “É fundamental, portanto, medir o uso da tecnologia na gestão urbana e como ela pode, de fato, melhorar a vida das pessoas que habitam as cidades” – disse.

SOBRE A PESQUISA

Realizada entre julho e outubro de 2017, a TIC Governo Eletrônico investiga o uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC) em dois perfis de organizações: órgãos públicos federais e estaduais de todos os poderes (Executivo, Legislativo, Judiciário e Ministério Público) e também nas prefeituras (Executivo Municipal). Em 2017, foram entrevistados, por telefone, 624 órgãos públicos federais e estaduais pertencentes aos Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e Ministério Público e 1.062 prefeituras brasileiras.

Com o estudo, foi investigada pela primeira vez a presença de projetos ou planos municipais de cidades inteligentes entre as prefeituras brasileiras, bem como o uso de tecnologias na gestão urbana.

Fonte: Diário do Transporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *