Acidentes com vítima nas marginais de São Paulo caem 29% após redução da velocidade

acidentes-caem-29-apos-reducao-da-velocidade-nas-marginaisApós a redução da velocidade máxima nas marginais Tietê e Pinheiros em São Paulo, dados preliminares da prefeitura referentes às últimas quatro semanas revelaram que a lentidão em ambas as vias caiu 21% no horário de pico da tarde e 3% pela manhã.

 

Os acidentes com vítimas tiveram redução de 29%, e sem vítimas caíram 20%. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (19) pelo secretário de Transportes da Prefeitura, Jilmar Tatto. Os dados são preliminares, esclareceu Tatto.

 

No período de 20 de julho (data de início da redução da velocidade máxima) a 14 de agosto de 2015, a média diária de lentidão nas marginais Tietê e Pinheiros caiu 10% na comparação com o mesmo período de 2014 (entre 21 de julho e 15 de agosto do ano passado).

 

Os índices de lentidão caíram nos dois horários de pico. Pela manhã, a queda foi de 3% e, no período da tarde, foi de 21%. No período entre picos, houve aumento de 8%.

 

A segurança no trânsito também aumentou com a redução da velocidade máxima. O número de acidentes com vítimas (mortos e feridos) nas Marginais caiu 29%, na comparação entre as primeiras quatro semanas com os novos limites e o mesmo período de 2014. Foram 110 ocorrências no ano passado, contra 78 em 2015. Os acidentes sem vítima caíram 20%, de 272 para 217 ocorrências.

 

Também houve redução de 25% nos acidentes com mortes, e de 67% nos atropelamentos no período.

 

Atropelamentos

Na apresentação, Tatto mostrou gráfico indicando que o número de atropelamentos nessas vias vem diminuindo: foram 8 atropelamentos em 2013; 6 entre 2013-2014; e 2 entre 2014-2015. “O sentido das medidas é permitir que as pessoas possam andar com segurança nas nossas ruas. Nessa linha, em breve vamos anunciar a redução de velocidade em mais 11 vias da cidade”, disse. O secretário também adiantou que estão nos planos outro tipo de sinalização mais específica ao pedestre.

 

O prefeito Fernando Haddad, presente à coletiva, declarou que a redução da velocidade trouxe resultados não só na diminuição do número de acidentes, mas também dos índices de lentidão nos horários de pico nas duas vias. “Ao melhorar a fluidez, também temos uma redução nos acidentes”, defendeu. E lembrou de Paris que, a exemplo do que vem acontecendo em outras cidades do mundo, há um mês divulgou uma redução de 15% dos acidentes e aumento de 18% na fluidez do trânsito, após a adoção de medidas semelhantes. “Pois em São Paulo tivemos neste primeiro mês da redução um resultado muito superior, o dobro!”, ressaltou.

 

Ele observou porém que não é possível comemorar nada ainda numa cidade que tem índice de 3 a 4 mortes por acidentes de trânsito por dia. “É inaceitável”, enfatizou. E completou dizendo que além da redução dos carros, o plano da gestão é prosseguir adotando outras estratégias para “acalmar” o trânsito, como a implantação de lombadas nas alças de acesso das vias rápidas e o alargamento das calçadas (divulgado na imprensa hoje) onde a demanda de pedestres for maior do que o que comporta a via; caso da rua Vergueiro, Ladeira Porto Geral, entre outras, exemplificou.

 

Acidente na ciclovia 

Fernando Haddad não quis se posicionar sobre as medidas que serão tomadas após o acidente que vitimou um idoso na ciclovia do Minhocão anteontem, e afirmou que a Prefeitura vai aguardar o resultado do inquérito. “Vamos acompanhar o inquérito para ver o que de fato aconteceu”. Também o secretário Jilmar Tatto não se pronunciou, mas classificou o acidente como uma “tragédia, uma fatalidade” e disse que, se for preciso, poderão ser feitos ajustes no projeto, como melhoria na sinalização e outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *